12 janeiro 2009

Paranóia

Gosto de pesquisar sobre psicologia é quase um passatempo. Acho importante ter um pouco de informação de como lidar com as pessoas e como lidar com nós mesmos. Outro fator importante é como saber que estamos enganados por uma ilusão que nossa mente cria, ou posso dizer algo que a mente quer que seja real subconscientemente. Um exemplo: A paranóia. No senso comum, a paranóia caracteriza-se como uma dificuldade de relacionamento, a pessoa começa a achar que os outros estão sempre contra ela, é muito desconfiada, e esta caracterização do senso comum pode apontar, apenas, para pessoas inseguras. Qualquer individuo pode desenvolver a paranóia, muitos casos acontecem pelo fato de a pessoa isolar-se emocionalmente, criando assim tramas contra si próprias(um dos casos). Toda e qualquer tentativa de dizer para o paranóico que isso é irreal é totalmente inútil, de acordo com a psicologia. O que a psicologia fala sobre paranóia é: um quadro onde a pessoa descreve tramas contra si própria, onde há um sentimento de perseguição, a pessoa sente-se como se o mundo estivesse contra ela e tudo que acontece parece ser uma conspiração. Para o paciente paranóico, até mesmo familiares, amigos e vizinhos podem estar envolvidos na conspiração. Intrigante e triste ao mesmo tempo, posso dizer que todos tem suas paranóias, algumas mais graves outras nem tanto, mas o importante é sempre tentar viver em equilíbrio observando o lado bom e as intenções das pessoas. Posso dizer que se um paranóico me conhecesse e lesse este post, infelizmente interpretaria como um mau gesto e estaria o ofendendo. No mais, todos somos paranóicos, o importante é não tornar isso um defeito.

5 comentários:

Marília Ferreira disse...

Muito interessante isso mesmo...
Psicologia é um campo muito bom para se estudar. Estou dando pulos de alegria que esse ano vou tê-la como uma matéria no meu curso da faculdade. hehehe
bjss

http://mahhferreira.blogspot.com/

Maurício disse...

Quê isso cara? Esse texto é pra mim? Affe, porque não veio falar diretamente comigo?

Paranóico? Eu?

¬¬

sueasuieasoheiashieasiehiashea

Daniela Moreira disse...

Puxa sabe que acho que ando meio paranóica nos ultimos tempos msmo.
hehehehehehehe... esse post me fez reparar que as vezes devemos levar a vida mais na levianamente, deixando de por peso em tudo. :)

Gostei do texto.
Ah duas coisas pra te dizer:

1°- saudades tuas, aparece.

2°- O Emerson fez um blog pra assuntos visionarios (como ele gosta de dizer) e tô de colaboradora la, criamos o blog a pouco tempo, aparece por la e comenta. XD

http://barcoaavela.blogspot.com/

bjão!!

Anônimo disse...

Estou vivendo um momento muito difícil com minha irmã, ela está totalmente paranóica e toda família se encontra sensibilizada com tal situação, já que é difícil fugir disso tudo. Eu tento fazer com que minha irmã esqueça por um minutos suas conspirações, mas é tudo inválido. Eu fui tentar ajudar estimulando ela a escrever tudo que passava por sua cabeça e agora não sei se fiz certo, já que ela acabou fazendo um dossier, acredita?! Ela liga pra durante o dia pra contar as mesmas histórias, gente é barra!!!! Me identifico bastante com seu blog, pq assim como vc busco conhecer melhor a mim mesma e as pessoa ao meu redor. estou fazendo um curso de psicanálise que me ajuda bastante a entender nossos demônios, nossos conflitos. Abraços.

Paulo disse...

Sugiro aos interessados na paranoia as preciosas dicas de Pedro Baçu sobre o tema:
http://www.nucleocasaverde.com.br/?p=600

Abraço,
Paulo

Deixe seu recado